Páginas

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Minha razão de viver.


Minha razão de viver tem os olhos puxados
a pele e a alma clara, adolescente, inocente
ainda o considero.
Minha razão de viver esteve aquecido dentro
do meu ventre, amado e querido.
Inspirou-me a maternidade.
Minha razão de viver é generoso com suas
virtudes e defeitos, como todo ser humano.
Minha razão de viver tem seus sonhos, ainda
adormecidos, mas que um dia vão florescer.
Minha razão de viver é jovem e adolescente.
Tem seus direitos e obrigações, ainda um menino
na transição de adolescente para idade adulta.
Minha razão de viver pode se considerar amado,
querido.
Minha razão de viver tem um nome.
Gabriel, simplesmente Gabriel, humildemente
meu filho, 14 anos merecidos, vividos, orgulho
de mãe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário