Páginas

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Tua calma

Tua calma me inspira, mas quando teu semblante
cria rugas, confesso que me divirto, neste vai e vem
de palavras, com esta confiança inabalável de que
a meta será alcançada. Sou toda ouvidos, fingindo
que não ouço e nesta brincadeira boa eu fico sorrindo
a toa. Me disfarço e fujo, brincando de tom e jerry
eu me sinto criança, mesmo neste mar de problemas
eu me esqueço que a realidade existe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário