Páginas

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Quietude da minha alma






















Sinto a quietude da minha alma, depois
de ter se esvaziado de tanta amargura.
Agora renovada pela expressão de
pensamento, eu penso e decido coisas
que nem eu mesma pensaria em resolver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário